Parecer da Comissão Científica

Projeto Externo - de Outra Unidade da USP

Dados do solicitante

Marco Antônio Tramontano

Natureza do projeto

Projeto de formação discente
Iniciação científica
Sónia Cristina da Silva Andrade
Por favor, selecione

Pesquisadores ou docentes associados

Recursos

2020/05408-1
Fapesp

Descrição do projeto

Diversidade genética e morfológica em espécies da ordem Mysida Boas, 1883 (Crustacea) das regiões sul e sudeste do Brasil
11-01-2021
31-01-2022
A ordem Mysida é composta por pequenos crustáceos, morfologicamente similares a camarões, mas filogeneticamente muito distante desses. Até então, pouco se estudou sobre a filogeografia dessa ordem que possui grande diversidade. No litoral brasileiro, altamente biodiverso, várias espécies de Mysida ocorrem e pouco se sabe sobre suas distribuições e padrões de diversidade genética na costa. Nesse sentido, esse projeto tem como principais objetivos entender a estruturação populacional de duas espécies de misidáceos pertencentes aos gêneros Neomysis Czerniavsky, 1882
e Mysidopsis Sars, 1864, bem como seu posicionamento filogenético em relação a outras espécies do grupo, a partir da análise de indivíduos oriundos de praias do sul e sudeste brasileiros. Será realizada também uma análise da morfoanatomia dessas espécies a fim de revisar sua unanimidade através de análises genéticas e morfológicas. Até o momento, não há nenhum trabalho sobre a filogeografia da ordem supracitada no Brasil e, portanto, o trabalho visa contribuir para o melhor conhecimento desse grupo pouco estudado, sua distribuição, história evolutiva e conectividade entre as populações.
Litoral brasileiro, distribuição geográfica, filogeografia, misidáceos, delimitação
de espécies.
As coletas dos animais ocorrem, preferencialmente, nos períodos da manhã e no crepúsculo, depois do horário de baixa da maré, realizando arrastos de cerca de 10 metros na zona de arrebentação do mar. Os arrastos são repetidos de 3 a 6 vezes na mesma praia, de forma a conseguir uma quantidade expressiva de indivíduos. Após a realização dos arrastos, o
material é fixado em álcool 100% e separado dos demais organismos. A fim de utilizar apenas os organismos alvos do projeto de iniciação científica, a triagem morfológica do material coletado nas praias será realizada nos pontos de
coleta a partir da observação de alguns dos caracteres morfológicos determinantes das espécies de Mysida – formato do telson, formato e tamanho das pleópodes e formato e tamanho do urópode (Boltovskoy, 1999).
A junção da identificação morfológica com os resultados moleculares obtidos permitirão, então, averiguar se essas espécies se tratam de apenas uma espécie ou um complexo de espécies crípticas. As demais espécies serão registradas para atualização dos sítios de distribuição geográfica, se necessário.
Os espécimes de misidáceos coletados terão seu DNA extraído a partir do protocolo CTAB proposto por Doyle & Doyle (1987). A qualidade do material genômico extraído será aferida através de eletroforese de gel de agarose com marcador gel RED 3% e a quantificação das amostras será realizada no espectrofotômetro Nanodrop. A amplificação de fragmentos dos genes mitocondrial COI e nuclear 18SrRNA será feita com os primers LCO 1490 e HCO2198 (Flomer, 1994) e 1F⁄5R, 3F⁄18Sbi e 18Sa2.0⁄9R (Giribet et al., 1996; Whiting et al., 1997), respectivamente, utilizando o kit Taq PCR Master Mix (Qiagen®), contendo 2,5 unidades de DNA Polimerase TAQ, 1 unidade de Buffer para PCR QIAGEN, 1,5mM de MgCL2, 200 μM de cada DNTP e 0,35 μM de cada oligonucleotídeo Qiagen. A reação de amplificação seguirá as seguintes etapas: desnaturação inicial a 94°C por 1 minuto; 35 ciclos de desnaturação a 94°C por 1 minuto; anelamento numa faixa de 50.
O projeto será executado ao longo de 2021 e as coletas ocorrerão durante toda a execução deste. Assim, o uso das instalações para processamento de coletas no Centro de Biologia Marinha - USP serão necessárias durante todo esse período. As principais etapas são:

Coleta de animais
Processamento das amostras e fixação
Análise morfológica à microscópio ótico, eletrônico e de varredura
Extração, amplificação e sequenciamento de DNA
Análise dos dados morfológicos
Análise dos dados moleculares
Redação de relatório parcial e final

Solicitações

Mesas, aquários, bancadas.
Baldes, pipetas, pissetas, água do mar encanada, lupa, microscópio
Misidáceos (Mysida, Peracarida, Crustacea).
Praias de São Paulo e Rio de Janeiro.
Não.
Não
  • Janeiro
  • Fevereiro
  • Março
  • Abril
  • Maio
  • Junho
  • Julho
  • Agosto
  • Setembro
  • Outubro
  • Novembro
  • Dezembro
5
4